Voltar

Ferramenta QFD:  aprenda e aplique na sua empresa

Por: Alex de Almeida
2 de novembro de 2022

Proporcionar uma boa experiência para os clientes tem sido a principal estratégia das empresas em um mercado cada vez mais competitivo, principalmente no setor de indústria e serviços. Nessas organizações é fundamental que tenham gestores que conheçam a ferramenta QFD, essencial para adequar o processo produtivo às necessidades reais do cliente.

A ferramenta QFD (Quality Function Deployment, em tradução, Desdobramento da Função Qualidade) é um método já consagrado capaz de captar as principais necessidades do cliente, a fim de oferecer um produto ou serviço mais focado nas dores dele.

O MBA em Engenharia de Produção da POLI USP PRO possui um enfoque especial nessa temática durante as aulas, de forma que o aluno gestor aprende na teoria e na prática como utilizar a ferramenta QFD no contexto empresarial para atrair mais credibilidade e visibilidade para sua marca. Quer saber como? Confira!

Importância da ferramenta QFD

Do ponto de vista profissional, é importante que um gestor conheça e saiba utilizar as ferramentas de melhoria contínua focadas na experiência do cliente. A QFD, que foi criada no Japão, se destaca por ser eficaz na melhoria da qualidade do produto ou serviço, aumentando o nível de competitividade da empresa no mercado.

Nesta matéria, conversamos com o professor Nilton Nunes, professor USP do curso de MBA em Engenharia de Produção da POLI USP PRO, que compartilhou conosco um pouco do conhecimento que é passado sobre o tema durante as aulas.

OBS.: para facilitar seu entendimento e ajudar no seu planejamento e aplicação da ferramenta, separamos, com ajuda do professor, um fluxograma completo focado na aplicação da QFD no desenvolvimento de um produto. Clique aqui e acesse agora mesmo!

Entenda a ferramenta QFD

De acordo com Nunes, o Desdobramento da Função Qualidade é um método específico para ouvir o que os clientes dizem, descobrir exatamente o que eles querem e, em seguida, utilizar um sistema lógico para determinar a melhor forma de satisfazer essas necessidades com os recursos existentes e, assim, especificar seu produto.

O professor afirma que o QFD deve responder a três principais perguntas:

  • Quais as qualidades (ou atributos)desejadas pelo cliente?
  • Que funções esse produto deve servir ou que funções deve-se usar para oferecer esse produto ou serviço?
  • Com base nos recursos disponíveis, qual a melhor maneira de oferecer o que o cliente deseja?
Componentes do sistema da ferramenta QFD
Aprenda a implementar a ferramenta QFD e aumente a competitividade do seu negócio!

O que faz a QFD?

Nunes explica que a partir de especificações gerais ou problemas específicos de um produto, o sistema QFD subdivide-os em tarefas específicas, usando uma série de matrizes.

“Essas tarefas estabelecem o nível mínimo do esforço a ser empreendido para satisfazer o cliente. Ou seja, ajuda as equipes a determinar os métodos e instrumentos adequados e a melhor ordem de utilização deles”, comenta.

O professor também afirma que o conjunto de matrizes que a metodologia do QFD usa na sua aplicação vai definir os dados para o planejamento estratégico, levando à empresa:

  • Maior eficiência no desenvolvimento de produtos;
  • Melhor qualidade do produto e maior confiabilidade;
  • Maior satisfação do cliente;
  • Melhores propostas e cotações. 

Dentre os principais benefícios proporcionados, podemos destacar os ganhos relacionados aos ciclos de desenvolvimento, que acabam se tornando mais curtos, sem tradeoffs, com custo menor e maior produtividade.

Aplicação da ferramenta

Segundo Nunes, “a aplicação da metodologia do QFD começa com a definição do objetivo para obtenção de novos produtos. Esse objetivo deve estar baseado no planejamento estratégico, em que está definida a missão da empresa e os objetivos dos departamentos, entre eles o departamento de desenvolvimento de produtos.”

Cada departamento terá uma planilha mostrando a missão da empresa, a área funcional em que atua o departamento e o objetivo da área funcional. Também é necessário ter uma tabela com:

  • Objetivos do novo produto
  • Metas
  • Estratégias para o cumprimento dos objetivos específicos
  • Políticas
  • Prioridades

De maneira geral, a aplicação da ferramenta QFD pode ser dividida em 4 etapas:

  • Planejamento do produto
  • Detalhamento de componentes
  • Planejamento do processo
  • Planejamento do controle da produção

Lista das ideias de produtos aprovadas

De acordo com as informações do fluxograma, é necessário coletar ideias de desenvolvimento de produtos ou serviços para criação de um banco de ideias. Essa é uma etapa muito importante da aplicação da ferramenta QFD.

“As ideias aceitas devem ter os dados preliminares verificados com um estudo mais profundo, para oferecer maior garantia de sucesso. Note que esse não é o resultado, pois só após o produto desenvolvido, tendo passado pelos ensaios de laboratório e de mercado, é que podemos ter os dados finais e, portanto, a decisão quanto ao lançamento”, esclarece o professor.

Nunes continua: “a lista de ideias deve ser alimentada permanentemente e, qualquer que seja a ideia, ela deve ser considerada. A equipe de desenvolvimento de produtos, chamada de focus group, deve contar com apoio de engenharia, manufatura, vendas, assistência técnica, clientes convidados, finanças, projetistas do produto e especialistas na arte do design.”

Por fim, o professor destaca a necessidade de buscar respostas para algumas questões importantes que surgem no processo de aplicação da ferramenta QFD para desenvolvimento de um produto específico, tais como:

  • Quem é o cliente, suas características e classe de mercado?
  • Como funciona e como se usa o produto?  (Tagushy)
  • Que características da forma para uso mais cômodo? (Ergonomia)
  • A que esforços os componentes são submetidos no uso?
  • Que componentes formam o produto?
  • Qual o formato mais adequado para o gosto do cliente? (Design)
  • Qual o tempo de vida do produto aceitável pelo cliente?
  • Qual a quantidade que o mercado absorve?
  • Que preço o cliente aceita pagar, para cada quantidade?

Gostou de aprender um pouco mais sobre essa importante ferramenta da qualidade? Pois então aproveite para se inscrever no curso de MBA em Engenharia de Produção da POLI USP PRO e aprenda tudo sobre a ferramenta QFD e como aplicar esse método na sua empresa!

Você também pode gostar:

Voltar

Posts relacionados

Por: Alex de Almeida
27 de julho de 2022

Conheça o MBA em Engenharia de Produção da POLI USP PRO!...

O setor produtivo está cada vez mais dinâmico e competitivo, com empresas buscando a inovação para melhoria dos seus processos. O surgimento de novas tecnol...
Saiba mais